Concurso Público ou Setor Privado

Se você é recém-formado deve ter uma pergunta em mente: “estudar para concurso ou empreender na iniciativa privada?”. Mas não se iluda, é comum encontrar funcionários de carreira que pensam em abandonar seus postos e partir para o tudo ou nada do comércio; assim como é frequente o relato de empresários querendo migrar para o setor público. Em pauta, uma das primeiras necessidades do homem (desde a infância): a segurança. Na criança, a segurança é o amor dos pais. A certeza de que os adultos estarão ao seu lado nas situações mais difíceis, protegendo-a das novidades da vida, dos desafios e dos problemas em geral. Nos adultos, a segurança é plural. Queremos segurança amorosa (daí o casamento, será?), segurança pública (daí a escolha por lugares seguros para fazer compras, passear ou estudar), segurança financeira (daí a dúvida pelo setor público ou iniciativa privada) etc. O setor público oferece uma relativa segurança. Em geral, as funcionários creditam seus futuros à certeza de que os seus salários nunca atrasarão, serão corrigidos em patamares aceitáveis (ainda que se tenha de fazer uma greve de vez em quando) e que as suas aposentadorias estarão garantidas. É um ato de fé, pois os índices econômicos mostram um futuro bem diferente para esse setor (em especial o municipal e o estadual). Por outro lado, o setor privado é instável, trabalha-se muito, não há descanso e nem recesso forense. Uma coisa é certa (e são palavras do amigo Rafael Pontes de Miranda), se for para empreender na iniciativa privada, o interessado deve ter em vista a construção de um patrimônio que corresponda à aposentadoria do setor público com as garantias do setor privado. É uma aposta que fazemos todos os dias: acreditar na solvência dos governos ou acreditar na própria força do trabalho e no sucesso correspondente. A decisão, que não é fácil, vincula sua qualidade de vida (hoje e amanhã) e reflete em todas as demais formas de segurança: amorosa, familiar etc.

#filosofiadevida

Voltar ao MENU INICIAL